Quem sou e como pode me contactar

sábado, 30 de abril de 2016

MAIAS nas Beiras do meu Portugal

Beltane celta

As Maias em Portugal, ainda são mantidas puras e tradicionais nas Beiras Alta e 

Baixa, se também o fazem no resto do país, partilhem aqui comigo, eu vou falar da 

tradição que recordo e da que observei.

De um modo geral, o cenário das várias celebrações cíclicas compreende cerimónias de véspera. A colocação de giestas faz-se no dia 30 de Abril para que as casas estejam floridas no momento em que começa o dia, para o «Maio», o «Carrapato» ou o «Burro» não entrarem. O «Maio» ou o «Burro» são entidades nocivas, cujo malefício se pretende conjurar com ma oposição de flores ou a manducação de certas espécies.  

No dia de hoje, faz-se a colocação de giestas nas portas e murais para que a casa esteja florida no momento que começa o dia, para que o "Maio" ou o carrapato não entrem, o "maio" ou o carrapato são tidos como entidades nocivas que é preciso esconjurar.
Em Trás- os - Montes, além de se enfeitarem as casas e portas ou muros com flores de giestas, as raparigas, adornam um menino que representa o Maio-moço e passeiam-no pelas ruas. Na zona de Penalva do Castelo, perto do Monte de S. Macário também se mantinha uma tradição, já mais masculinizada, talvez por honrar mais o Magaio que é um deus fértil e viril: os rapazes iam em grupo, batendo às portas das casas mais abastadas e cantavam: Maio, magaio, perna de gaio, dá confeitos e castanhas, ó Maio"; e esperavam pelos confeitos e pelas castanhas... 


A origem da tradição das Maias perde-se no tempo e pode ter várias explicações. Segundo alguns, a Maia era uma boneca de palha de centeio, em torno do qual havia danças toda a noite do primeiro dia de Maio. Por vezes, podia ser também uma menina de vestido branco coroada com flores, sentada num trono florido e venerada, todo o dia, com danças e cantares. Esta festa, de reminiscências pagãs, foi proibida várias vezes, como aconteceu em Lisboa no ano de 1402, por Carta Régia de 14 de Agosto, onde se determinava aos Juízes e à Câmara "que impusessem as maiores penalidades a quem cantasse Maias ou Janeiras e outras coisas contra a lei de Deus...". Ainda segundo outros, o nome do mês de Maio terá tido origem em Maia, mãe de Mercúrio, e a ele está ligado o costume de enfeitar as janelas com flores amarelas.

Seja como for, todos estes rituais pagãos estavam ligados ao rito da fertilidade para com o novo ciclo da natureza, à celebração da Primavera ou ao início de um novo ano agrícola. 
Hoje em dia ainda é possível observar em algumas zonas do nosso país, a colocação de ramos de giestas em flor, ou até mesmo coroas feitas de ramos de giestas, conjuntamente com outras flores e enfeites coloridos, nas portas e janelas das casas ou nos automóveis, na noite de 30 de Abril para 1 de Maio.

Nos variados aspectos, por vezes tão distintos, das celebrações do 1º de Maio, ter-se-ia pois operado um sincretismo de práticas e crenças, talvez de origens diferentes mas todas convergentes, recobrindo a obscura ideia, que subsiste no espírito do Homem, da necessidade de desencadear formas efectivas de protecção e de esconjuro a opor à insegurança da vida e à omnipresente ameaça do mal.

O Beltane celta já é tão largamente difundido que eu hoje, fico por aqui e deixo-vos para poder procurar giestas e tentar usufruir deste dia. 


Beijos
 Giestas em Castro D´Aire

domingo, 22 de novembro de 2015

Hécate

Hécate e a linhagem de stregheria

Como alguns de vós sabem, a família Lúcio tem uma ascendência italiana.
Eu prezo muito as minhas raízes e quanto mais as aprofundo, mais reconheço traços tão peculiares de mim mesma, como uma soma de tudo o que passou geneticamente para mim.
Para além desta ascendência mediterrânica, valorizo muito a minha parte da linhagem paterna que me traz o ritmo celta das tribos de Gallaecia, porém hoje vou escrever sobre a a arte da stregheria , o que traz à parte do coração explosivo e quente das latinas.
Ver Hécate com os olhos da stregha.......

Hécate não se afigura fácil e linear como tantas Deusas do panteão Romano ou outro, Hécate é obscura, na medida em que tudo é um mistério quando se tenta entrar nos domínios que Ela rege.
O culto a Hécate é acessível, porquanto vários seguidores Da Eterna já manifestaram em linhas escritas muitas fórmulas para cultuar, mas não é fácil, nem pêra doce por assim dizer.
Uma Deusa exigente consigo mesma É Uma Deusa exigente com as filhas e noviças.
Aqui fica uma compilação básica de regras que facilitam o contacto:

- Silêncio
- Fé
- Estudo

Ervas, Flores e Essências

- Rosa
- Lírios
- Teixo
- arruda, alfazema, sal, cânfora e outros

Oferendas:
Alho
azeitonas
vinho tinto
nozes amêndoa, anis estrelado

Comidas votivas:
Manjericâo, pimentão, ( pensem italiano)

E depois, basta seguir o coração maravilhoso que se apresenta : o de uma Deusa trívia cheia de Amor e Força.



Quando o Mundo atravessou o umbral cósmico
e nasceu , tornando-se Mãe Gaia
Eu , testemunhei esse nascimento
Eu , fiz parte desse parto
E vi a escuridão transformar o firmamento num véu para as estrelas
Enquanto o vazio , dava à luz o tudo
Eu , Hécate , presenciei
Eu existia ali , entre tudo e nada
Eu no centro do caos
Eu , poderosa e impotente
Sol e Lua
Terra e Céu
Hades e Olimpo
tudo ainda a nascer .......

Existo entre os mundos , no crepúsculo , no horizonte
Sou aquele trago de ar profundo
que deixa os teus pulmões vazios

Sou o grito e o choro desesperado do recém-nascido
Existo nas trocas de amor eterno em forma de juramento
sussurradas ao ouvido ,
e nas lágrimas que reconhecem a verdade

 Eu sou o amor e o ódio
Eu sou o coração e a espada
Eu sou a tua carne palpitante e o teu desprezo que te acolhe após a pancada
Eu sou a tua fortaleza e o teu paraíso de conforto materno

Eu sou cinzenta , Branca e negra , sou a magia que se faz de acordo


Eu existo para que te recordes dos ciclos
O que nasceu , por certo morre
O que foi levantado , será derrubado

Meu reino é o que o que não tem rainha ou rei ,
Meu reino está entre o Bem e o Mal
É tudo e não pertence a ninguém

Como portadora da chave , eu já existia e existirei
Eu sou o portal por onde emerges cheia de Mim .....

Eu sou Hécate , Lua escura e brilhante
Tua Mãe para sempre
Desde o primeiro instante .

Roseira @copyright

quinta-feira, 26 de março de 2015

Artefactos da Arte

É com enorme prazer que esta parceria entre a artesã Sara L Lima e A tenda da Roseira continua ......
Quem trabalha com a magia e a arte Ancestral sabe que é difícil encontrar peças adequadas para fazer parte do nosso altar ou da nossa caminhada espiritual ....
Para além de workshops , formação contínua e acompanhamento com oráculos ancestrais , assim como alinhamentos energéticos baseados na nossa terra e na nossa forma de vivenciar o Sagrado , A tenda da Roseira disponibiliza a oportunidade de comprar artefactos elaborados de acordo com as luas e cheios de magia desde o seu nascimento .....
Venha conhecer o nosso espaço , e atreva-se a SER

sexta-feira, 6 de março de 2015

Ritual das cordas

Boa tarde

De facto , hoje é a noite perfeita para este ritual , repare-se que hoje é a última noite de lua cheia , amanhã ela já estará  convexa em minguante .
Este rito ou ritual , apelida-se " das cordas " , porque utilizamos um tecido , ou corda , ou trapilho para o executar .
Imaginemos um dilema , e vamos solucionar o mesmo ,  em meio ciclo lunar .
Tem problemas de expressão ?
Tem problemas sexuais ?
Tem problemas de percepção ?

Seja o que for , vamos livrar-nos desse problema .

Pode tratar de mais que um problema de cada vez .
Passos :
- Decida qual o local onde vai colocar a corda , no seu corpo , e faça uma correspondência , entre a corda e o problema , mas também entre o local da amarração e o problema .
- Problema de expressão - amarre a corda à garganta 
         - Problema de posicionamento amoroso - amarre na linha do sutiã 
-amarra energética a necessitar de rompimento - envolva o plexo solar 
e por aí fora .......

De seguida , trace o circulo , abra os portais , monte as atalaias , como de costume , não complique , use a sua fórmula usual de circulo mágico e chame o seu animal de poder para o circulo para a ajudar .Pegue na corda ou trapilho e corte de modo a servir ao local onde vai ser aplicada , 
No momento em que estiver a atar a corda , use uma afirmação para selar o momento ao dar os três nós da praxe . 
Por exemplo , para um problema de posicionamento real , ou falta de ânimo em caminhar no novo caminho que se apresenta para si :

Ate a corda ( ou trapilho ) no tornozelo e diga 3x : Que esta corda me recorde que eu tenho de caminhar só , neste meu caminho , se desejo a verdadeira liberdade .

Entretanto , reserve de seguida , um momento de meditação em circulo de poder , para receber a sua dose de energia da lua cheia e faça como habitualmente , cante ou dance .

De seguida , abra o circulo e faça a sua vida normal .......


Até à lua nova , todas as noites tome algum do seu tempo para fazer 3x a mesma afirmação , tocando a corda .....

Não se esqueça , o dia certo para a colocação da corda é a noite seguinte à lua cheia e a noite certa para o cortar da corda é a lua nova .

Na noite de cortar as cordas , proceda da mesma forma para abrir o circulo , atalaias etc e não esqueça o caldeirão , fósforos e tesoura .

Fale altivamente depois de tocar ou cantar uma música de poder forte e ritmada , fale e afirme a intenção das cordas ....Sente-se em frente ao caldeirão , corte as cordas e queime-as ! ( dentro do caldeirão ) 


Abra o  circulo e lembre-se de agradecer a Hécate , Deusa da lua negra ( lua nova ) pela sua oportunidade de fazer da sua vida o que ela É : SUA !!! 


Beijos grandes irmãs . 





segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Assim fala Hécate

Quando o Mundo atravessou o umbral cósmico
e nasceu , tornando-se Mãe Gaia
Eu , testemunhei esse nascimento
Eu , fiz parte desse parto
E vi a escuridão transformar o firmamento num véu para as estrelas
Enquanto o vazio , dava à luz o tudo
Eu , Hécate , presenciei
Eu existia ali , entre tudo e nada
Eu no centro do caos
Eu , poderosa e impotente
Sol e Lua
Terra e Céu
Hades e Olimpo
tudo ainda a nascer .......

Existo entre os mundos , no crepúsculo , no horizonte
Sou aquele trago de ar profundo
que deixa os teus pulmões vazios

Sou o grito e o choro desesperado do recém-nascido
Existo nas trocas de amor eterno em forma de juramento
sussurradas ao ouvido ,
e nas lágrimas que reconhecem a verdade

 Eu sou o amor e o ódio
Eu sou o coração e a espada
Eu sou a tua carne palpitante e o teu desprezo que te acolhe após a pancada
Eu sou a tua fortaleza e o teu paraíso de conforto materno

Eu sou cinzenta , Branca e negra , sou a magia que se faz de acordo


Eu existo para que te recordes dos ciclos
O que nasceu , por certo morre
O que foi levantado , será derrubado

Meu reino é o que o que não tem rainha ou rei ,
Meu reino está entre o Bem e o Mal
É tudo e não pertence a ninguém

Como portadora da chave , eu já existia e existirei
Eu sou o portal por onde emerges cheia de Mim .....

Eu sou Hécate , Lua escura e brilhante
Tua Mãe para sempre
Desde o primeiro instante .

Roseira @copyright